"Não te desvies nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé da malignidade!"

Provérbios 4:27 - King James Bible

“Portanto assim diz o Senhor: Se tu voltares, então te trarei, e estarás diante de mim; e se apartares o precioso do vil, serás como a minha boca; tornem-se eles para ti, mas não voltes tu para eles”

Jeremias 15:19 - ACF

OS PECADOS DA RELIGIÃO


“Portanto assim diz o Senhor: Se tu voltares, então te trarei, e estarás diante de mim; e se apartares o precioso do vil, serás como a minha boca; tornem-se eles para ti, mas não voltes tu para eles” - Jeremias 15:19



   
Calvino e Ellen White: falsos mestres que ensinaram heresias

Jesus é o único mediador entre Deus e os homens (I Timóteo 2:5 – Hebreus 12:24). Jesus abomina a idolatria, a violência e a heresia (Mateus 16:6 - Aocalipse 22:15). Pode-se dizer que estes são os grandes pecados das religiões criadas pelo homem. Não temos dúvidas quanto às boas intenções dos seus criadores, mas estas religiões jamais levarão os homens ao céu, mas podem leva-los ao inferno. Quem leva o homem ao céu é Cristo, mas para o inferno qualquer religião poderá levá-lo.

Tudo quanto Deus cria durará eternamente (Eclesiastes 3:14), mas a religião dos homens perecerá no juízo de Cristo. Apresento-lhes três religiões muito conhecidas e queridas por seus seguidores, o catolicismo, o calvinismo e o adventismo. Os adeptos destas religiões orgulham-se de delas fazerem parte, todavia, um cristão bíblico, que se pauta na Bíblia Sagrada como regra de fé e conduta, jamais poderá fazer parte de qualquer uma destas três religiões. Explicando melhor, se for necessário descrever em uma única palavra o legado deixado à humanidade por cada uma destas religiões, o cenário da descrição certamente causará espanto a alguns, vejamos:

CATOLICISMO = IDOLATRIA
CALVINISMO = VIOLÊNCIA
ADVENTISMO = HERESIA

CATOLICISMO = IDOLATRIA

Quando um cristão bíblico fala do catolicismo, a idolatria toma foco, os santos, as imagens e o culto aos ídolos ocupa o lugar central na nossa descrição. Não precisamos falar sobre isto. Claro que a igreja católica também praticou a violência no passado, mas cabe mencionar que os católicos atuais abominam e criticam aquilo que eles chamam de erros do passado. Claro que a heresia permeia toda a prática desta religião.

CALVINISMO = VIOLÊNCIA

Quando um cristão bíblico fala do calvinismo, a violência física e simbólica (1) vem à sua mente.

A violência física está bem patente na história [1►][2►][3►] e dispensa comentários. A violência simbólica (*) gera a segregação e a acepção de pessoas, situações contrárias ao texto sagrado. A negação do livre-arbítrio constitui uma das maiores violências simbólicas contra o ser humano. Se Deus quisesse poderia tê-lo feito, mas ele não o fez. Jeremias 15:19 e centenas de textos bíblicos - ►Veja um exemploAo tentar suprimir o livre-arbítrio, a religião entra em conflito com o caráter de Deus e acaba praticando a violência simbólica(*) contra os homens.

Aqueles que dizem não possuir o livre-arbítrio, tornam-se marionetes de uma corrente teológica programada para cobrir os erros dos reformadores. Admitida a existência do livre-arbítrio a religião determinista perde o seu sentido e os reformadores assentam-se no banco dos réus.


A idolatria destes grupos reside na exaltação do pecador homicida como exemplo de servo de Deus e na adoção de certos tratados religiosos, os quais funcionam paralelamente ao cânon das escrituras sagradas. Nas páginas destas obras paralelas existem ataques grotescos contra o caráter de Deus, sobretudo nos itens que descrevem a queda do homem.

As obras “As Institutas da Religião Cristã” e a “confissão de Westminster” adquiriram um status tão elevado quanto à própria Bíblia Sagrada. A primeira obra foi escrita por um homicida que se dizia predestinado, a segunda foi aprovada pelo parlamento inglês em 1648 e trazia o título “Artigos de religião cristã, aprovados e sancionados por ambas as casas do Parlamento, segundo o conselho da Assembleia de teólogos ora reunida em Westminster por autoridade do Parlamento”. Agora era o estado que decidia as questões de fé. A igreja e o estado eram um só corpo, mas sempre existiu uma pergunta que todo historiador e todo cristão bíblico costuma fazer, mas poucos ousam responder: O corpo de cristo faz parte do estado?

(*) Violência simbólica é um conceito elaborado pelo sociólogo francês Pierre Bourdieu. Forma de coação que se apoia no reconhecimento de uma imposição determinada, seja esta econômica, social ou simbólica.

ADVENTISMO = HERESIA

Quando falamos em adventismo pensamos logo no evangelho que se justifica pelas obras, substituindo a graça pela lei. Isto é uma grande heresia. Enquanto no calvinismo o homem não faz nada, mas é forçado por Deus a entrar no seu reino, no adventismo o homem deverá seguir certas ordenanças para fazer valer a sua suposta salvação.


TODA SEMELHANÇA NUNCA FOI MERA COINCIDÊNCIA

Estas duas religiões tem muito em comum, ambas seguem o roteiro dos mestres que as criaram.

1 - João Calvino e Ellen White são tratados como verdadeiros heróis da fé. Seus adeptos fazem um verdadeiro malabarismo espiritual para justificar as heresias de seus mestres, ainda que a Bíblia as condene claramente.

2 - Os escritos do papa de Genebra e da papisa do sabatismo dão as diretrizes para a organização doutrinária de suas respectivas denominações.

3 - João Calvino descreveu a queda do homem como um decreto da parte de Deus. Um terrível acréscimo ao texto sagrado. Ellen White também descreveu a referida queda plagiando escritores pagãos e acrescentando deturpações antibíblicas aos episódios. 


Os acréscimos realizados por Calvino e pela Senhora White contrariam as escrituras sagradas em diversos lugares: Provérbios 30:6 – Deuteronômio 4:2 - Deuteronômio 12:32 – Atos 26:22 - 1 Coríntios 4:6 – Apocalipse 22:18-19. Parece que Calvino e a senhora White desconheciam estas passagens e seus respectivos fiéis ainda dizem “amém” a tudo quanto escreveram.

4 - Ellen White calou Balenger [4►] usando da violência simbólica, Calvino calou Sevetus [5►] utilizando-se da violência física.

5 - O calvinismo declara ser o evangelho e o adventismo declara ser o remanescente de Deus e única igreja fiel. Mas a fiel palavra de Deus nos afirma assim: “Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo” - 1 Coríntios 3:11-15

Neste texto Paulo faz referência aos servos de Deus que estariam vivenciando a graça. Para estes é melhor edificar sobre Jesus com verdade, do que lançar sobre ele uma religião meramente humana e não receber da parte de Deus o completo galardão. Todavia existe religião que usa a graça como pretexto para o pecado e religião que despreza a graça e abraça as obras da lei.

O melhor que o cristão pode fazer é abandonar a sua religião e buscar a Deus de todo o seu coração. Contra isto não há argumentos teológicos. Eu abandonei a minha religião, você já abandonou a sua?